www.dinakaufman.com

A música estimula a capacidade do cérebro de prestar atenção

publicado em 13-09-2007

Através de imagens do cérebro feitas com ressonância magnética de pessoas ouvindo música clássica, pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford observaram que a música ocupa áreas do cérebro envolvidas em prestar atenção e por mais estranho que pareça, a atividade máxima no cérebro se deu durante um curto período de silêncio, período este entre os movimentos da música.A música foi usada para estudar como o cérebro se organiza em relação aos constantes estímulos de informação. O cérebro divide as informações em partes num processo chamado de segmentação.

Foi o primeiro estudo a ser feito sobre o processo de segmentação do cérebro em relação à audição e em especial na música. 

Os pesquisadores escolheram uma música do compositor William Boyce de 1700. O foco do estudo foi os momentos de transição entre os movimentos que são de poucos segundos de silêncio, antes do começo do movimento seguinte. As imagens da ressonância magnética de 10 homens e 8 mulheres foram analisadas enquanto ouviam música ao fazerem o exame.Dois caminhos neurais em áreas diferentes do cérebro foram identificados no processo da transição entre os movimentos. 

Os pesquisadores surpreenderam-se com a diferença entre os níveis de atividade dos lados esquerdo e direito do cérebro, sendo que o lado direito foi significantemente mais ativo.Os resultados sugeriram um processo adaptativo evolucionário do cérebro quanto à música. Ela pode ser um modo de melhorar a habilidade de antecipação dos fatos e da capacidade em manter a atenção, principalmente porque o ritmo da música ajuda a se saber quando acontecerá o próximo evento.

Neuron, Vol 55, 521-532, 02 August 2007 

Indique esse texto à um amigo
Copyright 2006, Dra. Dina Kaufman. Todos os direitos reservados.